A ESCRITA EPISTOLAR FEMININA: LEITURAS, APROPRIAÇÕES E CONTRIBUIÇÕES PARA A HISTÓRIA DA EDUCA

Maria José Dantas, Rita de Cássia Santos Souza

Resumo


Cartas são exemplos de gêneros textuais que estão presentes em nossa vida e servem para colocar em contato remetente e destinatário. Nas últimas décadas, muitos pesquisadores têm se debruçando sobre a escrita epistolar como objeto de estudo e como fonte de pesquisa. Nesta análise, nos voltaremos para algumas publicações que enfatizam as correspondências escritas ou recebidas por mulheres. O artigo tem como objetivo, fazer um levantamento sobre as pesquisas e publicações nacionais, que têm enfatizado as correspondências femininas, bem como verificar quais os principais assuntos tratados nas cartas que foram investigadas pelos pesquisadores. O suporte teórico-metodológico está centrado na Nova História Cultural e tem como base os conceitos de apropriação de Roger Chartier e estratégia de Michel de Certeau. Através da leitura e fichamento dos livros, foi possível verificar as diferentes apropriações dos pesquisadores sobre as cartas de variadas mulheres, bem como percebemos que algumas delas utilizaram as correspondências como estratégias de um processo de ascensão intelectual e ainda, tinham neste veículo de comunicação um espaço para expressar sentimentos, desejos e contestações.


Texto completo:

PDF

Referências


BASTOS, Maria Helena Camara; CUNHA, Maria Teresa Santos; MIGNOT, Ana Chrystina Venâncio (orgs). Destinos das Letras: história, educação e escrita epistolar. Passo Fundo: UPF, 2002.

CAMARGO, Maria Rosa Rodrigues Martins de. Cartas e Escrita. 2000. 147f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas-SP, 2000a.

CAMARGO, Maria Rosa Rodrigues Martins de. Cartas adolescentes. Uma leitura e modos de ser... In: MIGNOT, Ana Chrystina Venâncio; BASTOS, Maria Helena Camara; CUNHA, Maria Teresa Santos (orgs). Refúgios do eu: educação, história e escrita autobiográfica. Florianópolis: Mulheres, 2000. p. 203-228.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: 1. artes de fazer. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

CHARTIER, Roger. A História ou a leitura do tempo. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009.

CHARTIER, Roger. A História Cultural: entre práticas e representações. (Tradução de Maria Mauela Galhardo). Lisboa: Difel 1990.

DANTAS, Beatriz Góis; NUNES, Verônica M.M. (orgs.) Destinatário: Felte Bezerra – Cartas a um antropólogo sergipano (1947-59) e (1973-85). São Cristóvão: Editora UFS, 2009.

DANTAS, Maria José; FREITAS, Anamaria G. B. de. Cultura Material Escolar: abordagens e fontes. In: Anais do IX Congresso Iberoamericano de História da Educação Larino-Americana: Educação, Autonomia e Identidades na América Latina. Rio de Janeiro: Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2009.

DAUPHIN, Cécile; POUBLAN, Daniele. Maneiras de escrever, maneiras de viver: Cartas familiares no século XIX. In: BASTOS, Maria Helena Camara; CUNHA, Maria Teresa Santos; MIGNOT, Ana Chrystina Venâncio (orgs). Destinos das Letras: história, educação e escrita epistolar. Passo Fundo: UPF, 2002. p. 75-87.

DEL PRIORE, Mary. Condessa de Barral: A Paixão do Imperador. Rio de Janeiro: Objetiva, 2008.

FARIA FILHO, Luciano Mendes de. Escolarização e cultura escolar no Brasil: reflexões em torno de alguns pressupostos e desafios. In: BENCOSTTA, Marcus Levy (org.) Culturas escolares, saberes e práticas educativas: itinerários históricos. São Paulo: Cortez, 2007. p. 193-211.

GALVÃO, Walnice Nogueira; GOTLIB, Nádia Battella. (org). Prezado senhor, prezada senhora: estudos sobre cartas. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

GOMES, Ângela de Castro. (Org.). Escrita de si, escrita da história. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.

IONTA, Marilda. As cores da amizade: cartas de Anita Malfatti, Oneyda Alvarenga, Henriqueta Lisboa e Mario de Andrade. São Paulo: Annablume; Fapesp, 2007.

KANN, Bettina; LIMA, Patrícia Souza; JANCSÓ, István (Org.). D. Leopoldina, 1797-1826: Cartas de uma imperatriz. São Paulo: Estação Liberdade, 2006.

LUBICH, Chiara. Lettere dei primi tempi (1943-1949): alle origini di uma nuova spiritualità. Roma: Città Nuova, 2010.

MACIEL, Francisca Izabel Pereira. Cartas pedagógicas: fragmentos de um discurso. In: BASTOS, Maria Helena Camara; CUNHA, Maria Teresa Santos; MIGNOT, Ana Chrystina Venâncio (orgs). Destinos das Letras: história, educação e escrita epistolar. Passo Fundo: UPF, 2002. p. 205-215.

MALATIAN, Teresa. Cartas: Narrador, registro e arquivo. In: PINSKY, Carla Bassanezi; LUCA, Tânia Regina de (Orgs). O Historiador e suas fontes. São Paulo: Contexto, 2009.

MIGNOT, Ana Chrystina Venâncio. Editando o legado pioneiro: o arquivo de uma educadora. In: MIGNOT, Ana Chrystina Venâncio; BASTOS, Maria Helena Camara; CUNHA, Maria Teresa Santos (orgs). Refúgios do eu: educação, história e escrita autobiográfica. Florianópolis: Mulheres, 2000. p. 123-143.

MIGNOT, Ana Chrystina Venâncio. Entre cartas e cartões postais: uma inspiradora travessia. In: MIGNOT, Ana Chrystina Venâncio; GONDRA, José Gonçalves. Viagens Pedagógicas. (Orgs). São Paulo: Cortez, 2007. p. 246-276.

MORAIS, Roselusia Teresa Pereira de. Cartas dos “peixinhos à professora. In: PERES, Eliane; ALVES, Antônio Maurício Medeiros (Orgs). Cartas de Professor@s, cartas a professor@as: escrita epistolar e educação. Porto Alegre: Redes Editora, 2009.

PERES, Eliane; ALVES, Antônio Maurício Medeiros (Orgs). Cartas de Professor@s, cartas a professor@as: escrita epistolar e educação. Porto Alegre: Redes Editora, 2009.

PIMENTA, Jussara Santos. Rastro de deslumbramento: Cecília Meireles em Portugal. In: MIGNOT, Ana Chrystina Venâncio; GONDRA, José Gonçalves (Orgs.). Viagens Pedagógicas. São Paulo: Cortez, 2007, v. 1, p. 163-194.

SILVA, Lenaldo. Subjetividade, consciência e sujeito da linguagem. In: SOUZA, Rita de Cácia Santos (Org.). Diferentes Olhares, um mesmo foco: educação. Aracaju: Criação, 2011.

SOUZA, Rita de Cácia Santos. Pressupostos teóricos e iniciativas político-sociais da educação especial em Sergipe (1850-1930). In: MIRANDA, Theresinha Guimarães e GALVÃO FILHO, Teófilo Alves (Orgs.). Educação Especial em contexto inclusivo: reflexão e ação. Salvador: EDUFBA, 2011.

UHLE, Águeda Bittencourt. Sobre amantes e amadores de edição. In: BUENO, Belmira Oliveira; AQUINO, Júlio Groppa; CARVALHO, Marília Pinho de (Orgs.). Política de Publicação Científica em Educação no Brasil Hoje. Estudos e Documentos. Faculdade de Educação da universidade de São Paulo. N. 43. São Paulo; FEUSP, 2002. p. 9-30.

VAZ, Élida. A encenação da educação nas cartas dos leitores. Rio de Janeiro: Faculdade de Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC – RJ, 1998. (Dissertação de Mestrado).

VIDAL, Diana Gonçalves. Da sonhadora para o arquiteto: Cecília Meireles escreve a Fernando de Azevedo. In: Yolanda Lobo; Ana Chrystina Mignot. (Org.). Cecília Meireles: a poética da educação. Rio de Janeiro: PUC-Rio/ Edições Loyola, 2001. p. 81-104.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fórum: Revista de Educação, Ciência e Cultura. Número 01 Volume 01, 2013.